Parceria com a Cemig beneficia APACs do estado

A Cemig firmou uma parceria com a Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (APAC), que irá beneficiar a entidade e os recuperandos. Trata-se da modernização das instalações das APACs de Minas Gerais por meio de ações do Programa de Eficiência Energética da companhia e da capacitação profissional dos recuperandos. Com a parceria, que também inclui o Tribunal de Justiça de Minas Gerais – TJMG; a Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados – FBAC; o Minas Pela Paz – organização que atua na promoção de direitos no âmbito do sistema prisional; e entidades como o SESI e o SENAI; as contas de luz das APACs serão reduzidas e os recuperandos poderão retornar à sociedade formados em uma profissão.

O Programa de Eficiência Energética da Cemig, regulado pela Aneel, tem como objetivo aplicar, conforme legislação, o percentual estabelecido da receita operacional da companhia em ações que promovam o uso racional da energia elétrica e a redução do desperdício com foco na sustentabilidade. Por meio do programa, a Cemig investiu cerca de R$ 8 milhões para substituir lâmpadas e equipamentos de alto consumo como chuveiros, freezers e geladeiras das unidades da APAC por modelos mais econômicos e eficientes.

O investimento também compreende a instalação de micro usinas fotovoltaicas em todas as APACs da área de concessão da Cemig. “Isso vai significar uma redução significativa no valor da conta de luz. Dependendo do porte da unidade, vai haver uma redução de até 50% do valor que ela paga atualmente”, comenta o gerente de eficiência energética da Cemig, Ronaldo Lucas Queiroz.

Decoração de Natal

A APAC também participou das atividades de Natal preparadas pela Cemig em 2019. As árvores da avenida Barbacena, em Belo Horizonte, onde fica localizada a sede da companhia, foram decoradas com crochê produzido por recuperandos da APAC de Santa Luzia, por meio de uma parceria com o Minas pela Paz. As árvores enfeitadas compreendem o trecho que vai da esquina com a rua Gonçalves Dias até a Praça da Assembleia, no bairro Santo Agostinho. A decoração ficará disponível para visita até o dia 6/1/2020.

Para o diretor de Comunicação e Sustentabilidade da Cemig e coordenador do Minas Pela Paz, Marco Antônio Lage, a APAC é uma metodologia alternativa muito importante, principalmente em Minas Gerais, onde o custo é cerca de cinco vezes menor do que o do sistema prisional comum. “A Cemig é apoiadora do Minas Pela Paz desde seu início. Agora, vamos envolver ainda mais a empresa, trazendo projetos para a APAC, como ações de eficiência energética, que irão oferecer melhor infraestrutura, reduzir custos e permitir que o dinheiro da entidade seja investido em outras necessidades”, declara o diretor. Para o presidente da Cemig, Cledorvino Belini, a parceria irá dar passos cada vez maiores. “É a responsabilidade social que nós todos temos que buscar para promover uma sociedade melhor”, acredita.

Formação profissional

A parceria também visa a capacitação para o mercado de trabalho. Mais de 1.500 recuperandos da APAC já participaram de cursos, oficinas e palestras de qualificação profissional.

Somente neste mês, foram 40 recuperandos da APAC de Nova Lima formados no curso de qualificação profissional de Elétrica Predial, realizado pelo SESI e pelo SENAI. A intenção é que a Cemig também participe da formação das próximas turmas do curso.  “Com essa ação, o Minas pela Paz, juntamente com nossos parceiros, como a Cemig, chegou, em 2019, até 25 APACs de Minas Gerais”, diz Enéas Alessandro da Silva Melo, gerente de projetos do Minas Pela Paz.

A prioridade é a recuperação

A APAC é uma entidade civil de direito privado, com personalidade jurídica própria, dedicada à recuperação e à reintegração social dos condenados a penas privativas de liberdade. Ela ainda opera como entidade auxiliar do poder Judiciário e Executivo, respectivamente, na execução penal e na administração do cumprimento das penas privativas de liberdade. O objetivo é promover a humanização das prisões, evitando a reincidência no crime e oferecendo alternativas para o condenado se recuperar.

O visitante que entra em uma unidade da APAC conhece o propósito da entidade já nas paredes de suas instalações, onde se lê frases como “Ninguém foge do amor” e “A prioridade é a recuperação”. Nas unidades, os recuperandos praticam atividades como artesanato e têm acesso a bibliotecas, lanchonetes e salas de TV. Também podem participar de atividades como o coral da instituição, além de cultivar a  própria horta. Trabalhando valores como disciplina, dignidade e companheirismo, os resultados positivos – como baixo índice de reincidência, baixo custo, ausência de rebeliões e poucas fugas – contribuem para que a metodologia APAC seja conhecida e aplicada com êxito em vários estados do país desde a década de 1970.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


2 + = oito

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>