Temperaturas acima da média marcam o inverno em MG

O inverno começa nesta sexta-feira (21/6), às 12h54. Em Minas Gerais, além das baixas temperaturas, a estação tem como característica o clima seco e a baixa incidência de chuvas, normalmente em decorrência do deslocamento de massas de ar frio provenientes do Polo Sul.

Neste ano, a estação terá influência do fenômeno El Niño, mas com intensidade fraca, o que deve resultar em temperaturas ligeiramente acima da média. No início de inverno, devem ocorrer os maiores desvios de temperatura, com sensação térmica acima da média em praticamente todo o estado.

Além disso, podem ocorrer, também, mudanças relativamente rápidas nas condições de tempo, com maior probabilidade do surgimento de nevoeiros e geadas nas primeiras horas do dia nas regiões serranas de Minas Gerais.

Porém, segundo o meteorologista Arthur Chaves de Paiva Neto, da Cemig, no decorrer da estação os desvios diminuem de intensidade, de modo que apenas na faixa norte e no Triângulo as temperaturas ficam acima da média durante todo o inverno.

Chuvas

Com relação às chuvas, Arthur Paiva lembra que é normal que os valores sejam baixos ao longo da estação, caracterizada por ser extremamente seca, chegando a um mínimo nos meses de julho e agosto. “Podem ocorrer, no entanto, pancadas fortes em setembro, inclusive acompanhadas de granizo”, comenta.

“A expectativa é que tenhamos chuvas ligeiramente abaixo da média na faixa norte e no Triângulo, acima da média na Zona da Mata e dentro da média nas demais regiões. Setembro deve apresentar os maiores volumes de chuva, mas em agosto devem ocorrer os maiores desvios positivos, comparado com a média histórica”, acrescenta o meteorologista da Cemig.

Mínimas e Máximas

Veja a previsão de temperaturas mínimas, máximas e médias para todas as regiões de Minas Gerais nos meses de julho, agosto e setembro.

Fonte: Cemig

A Praga da Beata

O bêbado entra no ônibus lotado, se espreme daqui, se espreme dali, vai se esgueirando até mais a frente.

Na primeira freada brusca, ele cai por cima de uma beata que, irritada, prognostica:
— Talvez o senhor não saiba, mas o senhor vai para o inferno!
E o bêbado, puxando a campainha desesperadamente:
— Pára, motorista! Pára, que eu peguei o ônibus errado!