Aneel define nova tarifa da Cemig

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) homologou, em reunião pública da diretoria realizada nesta terça-feira (22/5), as novas tarifas da Cemig durante o ciclo da 4ª Revisão Tarifária da empresa. O índice determinado para os consumidores residenciais da empresa é de 18,53% e passará a vigorar a partir da próxima segunda-feira (28/5). No ano passado, as tarifas da Cemig tiveram uma redução média de 10,66%, conforme definido pela Aneel na ocasião.

O índice médio do reajuste para os consumidores definido pela Aneel foi de 23,19%. Já os clientes atendidos em alta tensão (clientes industriais e comerciais de médio e grande porte) terão as contas reajustadas em 35,56%. Em 2017, esses clientes tiveram uma redução média da tarifa de 21,04%.

O gerente de Tarifas da Cemig, Giordano de Pinho Matos, afirma que mais de 80% do reajuste definido pela Aneel se refere a itens que não estão sob a gestão da companhia.  O estado crítico dos reservatórios brasileiros influenciou o preço do custo da energia e refletiu na decisão da Aneel para a tarifa da empresa.

“A maior parte do índice se refere ao alto custo de compra da energia em função do baixo nível dos reservatórios brasileiros nos últimos anos, especialmente no segundo semestre de 2017. Além disso, o acionamento das usinas térmicas contribuiu para elevar ainda mais o custo de geração no país. As usinas térmicas utilizam combustíveis fósseis, o que torna a geração de energia mais cara. O mecanismo das bandeiras tarifárias, que tem o objetivo de cobrir parte desses custos, não foi suficiente e a companhia teve uma despesa adicional superior a R$1 bilhão para garantir o fornecimento de energia dos consumidores mineiros”, explicou.

Giordano de Pinho Matos também destaca outros fatores que impactaram a decisão da Aneel no reajuste das tarifas dos mineiros. “Além do custo da energia do país que foi muito elevado, há o custo de transporte e os encargossetoriais que interferem na tarifa. Do valor total do reajuste médio (23,19%) definido pela Aneel, apenas 4,30% ficam com a Cemig Distribuição ”, afirma.

Tarifa residencial acompanhou a inflação nos últimos cinco anos:

Redução de custos

Nos últimos três anos, a Cemig teve o maior corte de custos de sua história. Neste período, houve uma redução de 25% na folha de pagamento com empregados e 13% de queda dos custos operacionais. Neste ano, houve um corte de 28% nos gastos com o Conselho de Administração da companhia.

Maior investimento da história na rede de distribuição

No último ciclo de Revisão Tarifária, a Cemig investiu cerca de R$ 5 bilhões para melhoria da qualidade do serviço de energia ofertado a 8,3 milhões de consumidores mineiros. Esse valor foi o maior investimento da história feito pela empresa na rede de distribuição. Somente no ano passado, foi investido R$1 bilhão na melhoria do sistema elétrico.

De 2015 a 2018, a Cemig construiu cerca de 15 mil km de rede em áreas rurais do estado e mais de 3,6 mil km em áreas urbanas, o que representa um investimento de, aproximadamente, R$970 milhões.

Além disso, no mesmo período, a Cemig investiu cerca de R$ 130 milhões na instalação de mais de 5.700 religadores em sua rede de distribuição. Também foram investidos mais de R$ 160 milhões na construção e ampliação de 104 subestações em todo o estado.

Em relação à Eletrificação Rural, a Cemig destinou cerca de R$ 800 milhões, beneficiando mais de 50 mil famílias que viviam sem energia elétrica em Minas Gerais.

Cemig alerta para cuidados com a rede elétrica na agricultura

Para evitar que ocorra acidentes envolvendo a rede elétrica durante o plantio e colheita de grãos e outras lavouras, a Cemig alerta para os cuidados que devem ser observados em áreas de cultivo.

Acidentes com a rede elétrica em áreas rurais acontecem principalmente onde ocorre o uso de máquinas agrícolas, como colheitadeiras de café e outros grãos, que chegam a atingir vários metros de altura, e podem tocar os fios da rede elétrica. Caçambas e escavadeiras de médio e grande porte também podem alcançar os fios ou provocar o desmoronamento do terreno e a queda de estruturas se a escavação for feita muito próxima destas.

De acordo com  o engenheiro de Segurança do Trabalho Demetrio Aguiar, da Cemig, é imprescindível que o trabalhador mantenha sua atenção aos riscos do ambiente antes de iniciar qualquer atividade no campo. Por exemplo, colheitadeiras e outras máquinas de grande porte jamais devem ficar sob os fios da rede elétrica. As barras do pulverizador devem ser abaixadas ao passar debaixo dos fios da rede elétrica.

Ao carregar ou descarregar os graneleiros, as pessoas devem prestar atenção à localização da fiação da rede elétrica e não deixar que nada se aproxime ou encoste nos fios. “Nunca utilize varas de bambu ou madeira para levantar cabos para a passagem de veículos e equipamentos. Aproximar ou tocar nos cabos pode causar sérios acidentes para as pessoas que estão próximas do local” – alerta.

Outra recomendação é evitar  transitar com o trator e outros veículos próximo dos cabos de aço que sustentam os postes, chamados de “estais”. Quando estes cabos arrebentam, o poste pode ceder, deixando os fios elétricos abaixo da altura regular. Quando o estai é removido propositalmente, ainda existe o risco de o fio tocar na parte energizada no alto do poste, provocando um choque elétrico.

“É importante seccionar e aterrar as cercas em toda a sua extensão. As cercas eletrificadas devem ser  sinalizadas a cada cem metros de distância”, complementa.

Quando for necessário transportar as máquinas sobre caminhões apropriados, deve-se observar a altura de todo o conjunto de forma que as máquinas sobre o caminhão não atinjam a fiação que atravessa sobre vias públicas e rurais. “Mesmo as redes telefônicas e de dados que são bem mais baixas que as redes elétricas mas que estão nos mesmos postes podem oferecer perigo, pois se a máquina colidir com esses fios, pode ocorrer a quebra do poste, que poderá cair sobre o caminhão e sobre as pessoas, colocando em risco todos que estiverem próximos ao local. Caso isso ocorra, os ocupantes do veículo (caminhão) deverão permanecer dentro da cabine até a chegada da Cemig. Somente em caso de incêndio, deve-se abandonar o veículo, saltando da cabine o mais longe possível com os pés juntos e evitando se aproximar de fios partidos” – orienta.

Se durante alguma manobra observar cabos ou condutores de energia rompidos, caídos ao solo, ligue imediatamente para o Fale com a Cemig – telefone 116.

UNIARAXÁ na Luta Antimanicomial e Contra a Violência Sexual

uniaraxaO UNIARAXÁ vem desempenhando um papel muito importante na Agenda Comum Inter setorial de Araxá, juntamente com diversos segmentos. Para o Eixo “Combate à violência sexual infanto-juvenil” e “Luta Antimanicomial”, foram preparadas diversas atividades dentro da Semana de Combate à Violência Sexual e a Semana Municipal de Luta Antimanicomial. Dentre as atividades desenvolvidas pelo UNIARAXÁ, destacam-se palestras e mesas redondas que aconteceram juntamente à I Jornada da Psicologia da Instituição. A primeira palestra, em parceria com o Centro Universitário, aconteceu no último dia 14/05, no Tribunal do Júri do UNIARAXÁ, com um público composto por Menores Aprendizes da cidade.

A Coordenadora do Núcleo de Prática Jurídica e Profª. Mestra Eliana Pavan, durante a palestra, abordou-se o tema “Combate à violência Sexual Infanto-Juvenil” e ressaltou-se a necessidade da sensibilização e conscientização social sobre o assunto. “A questão de poder e violência sobre crianças e adolescentes remonta às épocas antigas, quando a infância e a adolescência não eram reconhecidas como processos importantes do amadurecimento afetivo, físico e social do indivíduo; necessitando de cuidados e olhares específicos. É importante que cada vez mais a sociedade esteja atenta a comportamentos que possam prejudicar a integridade e o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes; daí a necessidade de sensibilização e conscientização social, quanto ao problema da violência sexual infanto-juvenil; que tem acontecido de forma reiterada na realidade de nosso país. A violência sexual traz traumas, por vezes, irreversíveis, os quais afetam o desenvolvimento da criança e do adolescente; tema, portanto, merecedor do incremento de ações que busquem a efetiva proteção às vítimas. É necessário que tenhamos atitudes firmes e responsáveis, optando por uma postura preventiva à citada violência. Assim, o UNIARAXÁ, por seu Curso de Direito, busca fortalecer as ações voltadas ao atendimento de demandas sociais; nesse caso, o tema da violência sexual contra a criança e o adolescente, visando à conscientização da Comunidade e despertando para a prevenção”, destaca a Professora. A palestra contou, ainda, com a participação da Aluna do 3º Período do Curso de Direito, Maria Beatriz Machado, que dividiu um depoimento sobre o tema com os demais participantes.

Dentro da Semana Municipal de Luta Antimanicomial, o UNIARAXÁ contribuiu, também, com diversas atividades. Uma delas foi a Mesa Redonda, cujos integrantes discutiram o tema “Saúde Mental em Tempos Líquidos”. A Mesa contou com a participação de Estudantes do Curso de Psicologia do UNIARAXÁ, Profissionais da área de Psicologia e Comunidade em geral. A mediadora da Mesa Redonda, Profª. Maria Bethânia Oliveira teceu comentários sobre a importância desse debate, no compartilhamento de conhecimentos e na

prevenção de preconceitos. “Criar debates, disseminar conceitos, quebrar preconceitos e estimular cuidados acerca da Saúde Mental é compromisso ético profissional do Psicólogo. A oportunidade em atingir esses objetivos, especialmente, na Comunidade Acadêmica é ação formativa fundamental. A Mesa Redonda pretendeu atingir esses propósitos. Professores e Profissionais externos foram convidados a fim de compartilhar saberes e práticas. A linha norteadora de nossas discussões baseou-se na obra de sociólogo, filósofo e professor Zygmunt Bauman, o qual se dedicou à discussão de temas como o Consumismo, a Globalização e as Transformações, nas relações humanas. Bauman escolhe o ‘líquido’ como metáfora no sentido de ilustrar o estado dessas mudanças: facilmente adaptáveis, fáceis de serem moldadas e capazes de manter suas propriedades originais. As formas da vida moderna, segundo ele, assemelham-se pela vulnerabilidade e fluidez; o que evidenciam a sua incapacidade de se manterem na mesma identidade por muito tempo; isso reforça esse estado temporário das relações sociais”, relata a Professora.

A parceria entre o UNIARAXÁ e os Eventos Municipais que abordam temas de relevância, como o Combate à Violência Sexual e a Saúde Mental, reafirma o compromisso da Instituição em garantir à Comunidade uma Educação Cidadã, pautada na solidariedade e na ética; valorizando sempre o indivíduo. As atividades realizadas foram um sucesso; colaborando para que os participantes se empreendessem na reflexão assertiva e no acesso a informações de expressiva significância; contribuindo, assim, para o desenvolvimento profissional e pessoal de todos os que tiveram a oportunidade de participar das atividades.

Semana agitada no UNIARAXÁ

A última semana foi agitada no UNIARAXÁ. O Centro Universitário esteve movimentado com dois importantes eventos tradicionais do Calendário Acadêmico, engajando Docentes, Discentes, Profissionais e Instituições Parceiras. O objetivo dos eventos foi garantir aos Estudantes e à Comunidade local informações e experiências, além das salas de aulas. Ambos foram um grande sucesso e alcançaram seus objetivos; deixando como resultado a construção de diversos conhecimentos nas mais variadas áreas.

O II ENGETEC – Encontro de Engenharia e Tecnologia de Araxá – já se consolidou como um importante evento para a área de Engenharia na cidade; reunindo Profissionais, Professores e Estudantes do UNIARAXÁ e do CEFET Araxá; Instituições organizadoras do evento. A abertura da segunda edição do Encontro ocorreu no último dia 07/05, com apresentação musical e uma palestra ministrada pelo Engenheiro Gustavo Maiera. O evento seguiu sua programação durante a última semana, com atividades variadas: palestras, mesas redondas, atividades práticas e workshops. Além das atividades teóricas e práticas, o ENGETC 2018 contou, também, com atividades culturais e esportivas, como o Torneio de Futebol Society, entre o UNIARAXÁ e o CEFET Araxá.

De acordo com o Professor e Coordenador do Curso de Engenharia Civil do UNIARAXÁ, Pedro Diamante Miranda, o encontro possibilitou aos participantes inúmeras alternativas de aprendizado. “O ENGETEC, desde a sua primeira edição, tem se mostrado como uma oportunidade única de aprendizado e atualização para a Comunidade Acadêmica; e, também, para os Profissionais externos, na região de Araxá. Nessa segunda edição, foi observada uma grande valorização do evento por parte dos Estudantes, Professores, Profissionais e Instituições ligadas à Engenharia. Foram ofertadas mais de 60 atividades, entre palestras, minicursos, oficinas, atividades culturais e desportivas. Tal diversificação permitiu que os participantes tivessem inúmeras alternativas e pudessem buscar o enfoque em áreas de interesses individuais. Outro ponto positivo foi a integração entre Professores e Estudantes das duas Instituições organizadoras, CEFET-MG e UNIARAXÁ; bem como a expansão da rede de contatos destes com o mercado

profissional, local e regional, por meio da interface com os ministrantes de cada atividade”, conta o Professor.

Outro Evento de sucesso foi a Semana de Atualização Profissional dos Cursos da área de Saúde da Instituição; cujo início ocorreu no último dia 07/05, com uma grande palestra sobre Práticas Baseadas em Evidências. A Semana de Atualização Profissional envolveu os Cursos de Estética e Cosmética, Enfermagem, Fisioterapia e Educação Física em atividades como palestras, workshops, mesas redondas e oficinas práticas. Para o Prof. Dr. José Carlos da Silva, Diretor do Instituto de Ciências da Saúde, Agrárias e Humanas, o evento oportuniza a completa formação acadêmica aos Estudantes participantes. “Na Semana, os Estudantes tiveram a oportunidade de vivenciar e conhecer profissionais experientes do mercado de trabalho onde atuarão, quando se graduarem. Os Estudantes na Graduação se preocupam com a formação acadêmica, no dia a dia; nesses eventos, eles têm a oportunidade de conhecer o que o mercado oferece em tempo real. De fato, o evento é de extrema importância para a completa formação acadêmica”, conta Professor José Carlos.

Cada Curso da área de Saúde realizou, em pontos diferentes da Instituição, uma atividade diferenciada; movimentando, assim, o campus e levando aos Estudantes a oportunidade de participarem e viverem as mais diversas experiências. As atividades abordaram temas com o objetivo de agregar valor ao trabalho desenvolvido durante o Ano Letivo em sala de aula; e, assim, construir conhecimentos cruciais ao desenvolvimento teórico e prático dos Estudantes.

O Curso de Estética e Cosmética, por exemplo, levou às Alunas práticas inovadoras, repassadas por profissionais de sucesso na área. “A Semana de Atualização Profissional é uma oportunidade enriquecedora para os acadêmicos do Curso de Estética e Cosmética; momento no qual recebemos profissionais de diversas áreas para compartilharem suas experiências e conhecimentos. Nessas atividades de Extensão, criamos oportunidades e vínculos externos para o nosso futuro egresso”, comenta Giselle Cunha, Professora e Coordenadora do Curso de Estética e Cosmética do UNIARAXÁ.

O UNIARAXÁ encerrou a Semana com seu principal objetivo alcançado: ser uma Instituição de Ensino de excelência, com práticas inovadoras. O Centro Universitário aguarda agora os próximos eventos, com a certeza do sucesso das atividades que envolvem e movimentam toda a Comunidade Acadêmica; comprometida com a qualidade e a inovação para a construção de novos conhecimentos.

uniaraxa