Archives for

Educação

Rumo ao Projeto Rondon

projeto rondomTomados de muita expectativa, ansiedade e determinação, os estudantes e professores do Centro Universitário do Planalto de Araxá (UNIARAXÁ) que participarão da Operação Parnaíba, do Projeto Rondon, embarcaram, na última quinta-feira (17), rumo ao município de Regeneração (PI). A Equipe de Rondonistas permanecerá na cidade – distante 140 quilômetros da capital Teresina – até o próximo dia 3; e, lá, realizará diversas atividades em prol do desenvolvimento da comunidade local. As ações proporcionarão benefícios permanentes, a partir do conhecimento universitário; capacitando multiplicadores do próprio município; os quais continuarão o trabalho lá desenvolvido.

O Projeto Rondon é uma ação coordenada pelo Ministério da Defesa, em parceria com outros Ministérios (Educação, Saúde, Meio Ambiente, entre outros), governos estaduais e municipais e Instituições de Ensino Superior de todo o Brasil, que enviam às Operações equipes de estudantes e professores de Cursos que estejam dentro dos eixos, propostos para a edição. Nessa edição do Projeto, o UNIARAXÁ atuará na temática do Conjunto B, que abrange as áreas de Comunicação, Tecnologia e Produção, Meio Ambiente e Trabalho.

Sob a coordenação da Professora Karina da Costa Souza e o acompanhamento do Professor Cristiano Alves, a Equipe de Rondonistas do Centro Universitário de Araxá é composta pelos estudantes: Ana Carolina Mamede Oliveira (Engenharia Civil); Carolina Oliveira Coelho (Administração); Emerson Henrique de Almeida (Engenharia Ambiental e Sanitária); Ernandes Resende da Silva Júnior (Engenharia Civil); Jorge Ferreira Lima Neto (Engenharia Ambiental e Sanitária); Lucas Caetano da Silva (Engenharia Mecânica); Raissa Kétura da Silva (Engenharia Civil); e, David Silva Alexandre (Engenharia Ambiental e Sanitária).

De acordo com a Professora Karina, o interesse pelas atividades que serão realizadas pela Equipe é significativo. “Esperamos um público bem diverso nas atividades; desde representantes da comunidade em geral a agentes da Prefeitura da cidade, que serão os responsáveis por repassar todo o conhecimento após o Projeto. Temos mais de 700 inscritos nas oficinas; o que demonstra o grande interesse da população em aprender conosco. Esse interesse havia sido sinalizado já na viagem precursora do Projeto Rondon; provando o quanto o município está à procura de melhorias”, conta.

Dentre as atividades preparadas pelos estudantes araxaenses está a capacitação da comunidade local para a construção de fossa séptica, a construção de um sistema de captação de água da chuva, a implantação de um plano municipal de saneamento básico e a coleta seletiva; além do

monitoramento da qualidade da água do município. A população poderá, ainda, aprender como se destacar no mercado de trabalho, desenvolver um plano de negócios e produzir sabão artesanal, a partir da reciclagem do óleo de cozinha. Nas escolas, os Rondonistas realizarão oficinas sobre plantio de hortas, além de gincanas sobre Educação Ambiental. Palestras sobre Educação no Trânsito, também, fazem parte do cronograma de atividades.

Destaque especial para o Festival Multicultural de Regeneração. No evento, os Rondonistas araxaenses realizarão a degustação de produtos da Terra de Beja; como doces e queijos variados. Não faltará, ainda, o famoso pão de queijo mineiro. Fechando com chave de ouro a participação no Festival, a Equipe encenará um casamento caipira – tradicional nas festividades juninas de nossa região. Em outro momento, está previsto, também, um sarau com músicas típicas de Minas Gerais.

Segundo o aluno David Alexandre, a expectativa por novos conhecimentos e troca de experiências é grande. “Esperamos ter muito trabalho e que todos se envolvam. A intenção é aplicar tudo o que foi planejado; e, por meio dos conhecimentos adquiridos no UNIARAXÁ, contribuir com a comunidade de Regeneração. Temos grandes expectativas, também, na troca de experiências; aprendendo com a população local, conhecendo uma nova cultura; inclusive com a outra Equipe que estará conosco na Operação Parnaíba, que é da cidade de Cruz Alta, no Rio Grande do Sul”, diz.

Dentro da programação do Projeto Rondon, o UNIARAXÁ e a UNICRUZ (Universidade de Cruz Alta) foram escolhidos para fazer o encerramento do Projeto. As duas Instituições de Ensino farão uma socialização às demais Equipes participantes do Rondon, baseada no trabalho realizado em Regeneração. O encerramento dessa edição do Projeto Rondon acontecerá na capital Teresina.

“Adote uma Cartinha” do UNIARAXÁ presenteia crianças da comunidade

UniaraxaMais de 460 crianças receberam, na última quarta-feira (12), presentes pela quinta edição da Campanha “Adote uma Cartinha”. A iniciativa do Centro Universitário do Planalto de Araxá (UNIARAXÁ) tem o objetivo de tornar o Natal de diversas crianças da comunidade mais feliz.

As cartinhas adotadas foram retiradas, uma por uma, no Setor de RH (Recursos Humanos) do UNIARAXÁ; e, em sua maioria, traziam o desejo das crianças em serem presenteadas com brinquedos. Entre os pedidos, havia bonecas, carrinhos, jogos, bolas de futebol, vôlei; além de caixas de lápis coloridos e materiais escolares. O palco da entrega dos presentes foi o Ginásio do UNIARAXÁ, que ficou lotado de crianças, pais e professores das Escolas públicas, onde as crianças estudam.

Enriquecendo o momento da entrega dos presentes, os pequenos realizaram apresentações de canto, dança e teatro; tudo voltado ao clima de Natal e à confraternização com a família. “Com a ajuda de colaboradores, parceiros, e toda a comunidade, conseguimos contribuir com um Natal mais feliz às crianças; levando a todos a se envolverem no espírito da época natalina; simbolizado pela confraternização e amor ao próximo”, diz o gestor de RH do UNIARAXÁ, Ricardo Ramalho.

Cemig e FIEMG firmam acordo para redução de custos na indústria

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG) assinaram, nesta segunda-feira (17/12), um memorando de entendimento com o objetivo de estabelecer uma cooperação comercial, buscando a redução de custos para aumentar a competitividade da indústria mineira por meio do desenvolvimento do mercado de geração distribuída no estado. O evento, realizado na sede da federação em Belo Horizonte, contou com a presença dos presidentes da Cemig, Bernardo Alvarenga, da FIEMG, Flávio Roscoe Nogueira, e da Cemig GD, Tarcísio Andrade Neves, e do diretor de Relações Institucionais e Comunicação da Cemig, Thiago de Azevedo Camargo.

Líder nacional de conexões em geração distribuída, a Cemig, por meio de sua subsidiária integral Cemig Geração Distribuída (Cemig GD), desenvolverá usinas de geração distribuída para clientes atendidos em baixa tensão como comércios e pequenas indústrias, em especial as indústrias mineira filiadas à FIEMG, proporcionando benefícios ambientais, reduzindo o consumo de combustíveis fósseis e as emissões de gases de efeito estufa, além de contribuir com a redução dos custos de energia atuais, para o desenvolvimento sustentável e o aumento da competitividade da indústria mineira.

A FIEMG representa as indústrias do estado, atuando na defesa de seus interesses local e nacionalmente, contribuindo com o desenvolvimento sustentável e a competitividade das indústrias instaladas em Minas Gerais. O presidente da entidade, Flávio Roscoe, enalteceu a iniciativa e comentou que o acordo entre a Cemig, a FIEMG e seus sindicatos pretende tornar a indústria mineira mais competitiva em vários aspectos.

“Essa ação tem como foco principal o desenvolvimento de Minas Gerais. Além do aspecto econômico, como, por exemplo, de geração de emprego e renda, tem também o potencial de redução dos custos com energia para nossas indústrias em torno de 15% sem necessidade de investimento pelas empresas, o que aumenta sua competitividade e incentiva o mercado de geração distribuída, propiciando a geração de energia limpa e sustentável”, enfatiza.

No Brasil, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estabelece que as fontes de geração distribuída devem ser renováveis, tais como painéis fotovoltaicos e geradores hidráulicos e eólicos, dentre outras fontes, possibilitando ao consumidor gerar sua própria energia elétrica (conhecido como “prosumidor” – produtor + consumidor), inclusive por meio de união de diversos interessados em consórcios, cooperativas ou condomínios.

O presidente da Cemig, Bernardo Alvarenga, salientou as vantagens  e benefícios da geração distribuída, de acordo com a resolução 482/2012 da Aneel. “Os clientes de alta tensão podem comprar no mercado livre, enquanto os clientes de baixa tensão só podem receber energia da distribuidora, agora toda empresa ou pessoa física pode deixar de ser um simples consumidor e pode ser um gerador, mas não é um gerador clássico.  Ele compensa o seu próprio consumo e, eventualmente, constitui créditos para consumos futuros”, destacou.

Para impulsionar essa tecnologia, o governo de Minas Gerais sancionou, em julho do ano passado, a Lei 21.713, que estimula a produção e a comercialização dessa energia no Estado a estabelecimentos com atividade de geração, transmissão ou comercialização de energia solar. A nova norma amplia para 20 anos o prazo para a concessão de créditos de ICMS relativos à aquisição de energia solar produzida no Estado. Esse é um importante incentivo ao desenvolvimento da energia solar fotovoltaica.

Mercado atual

A Cemig é a maior empresa do país em números de conexão de mini e microgeração, com 8.527 ligações. A área de concessão da companhia possui 142 MW de potência instalada em geração distribuída, 24% do total do Brasil (592 MW, mais do que uma Usina de Nova Ponte em capacidade).

Concurso escolhe Projeto para a nova Lanchonete do UNIARAXÁ

lanchoente uniaraxaA Fundação Cultural de Araxá (FCA) e o Escritório Modelo de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário do Planalto de Araxá (UNIARAXÁ) promoveram, via edital, um concurso para a escolha do melhor Projeto para a nova Lanchonete da Instituição.

Os estudantes Antônio Oliveira Menezes e Laura de Souza Jorge, do 2º e 4º períodos do Curso de Arquitetura e Urbanismo, respectivamente, são os autores do Projeto escolhido. “Estar cursando o 2º período de Arquitetura e conquistar esse prêmio é muito gratificante. Além da experiência de colocar em prática os conhecimentos adquiridos, juntamente com minha parceira Laura, senti o gostinho da Profissão; o que é ser um Arquiteto”, diz Antônio.

O Concurso contou com a participação de acadêmicos dos mais variados Períodos do Curso de Arquitetura e Urbanismo; e, para a escolha do melhor Projeto, foi convocada uma Banca Julgadora. Após a análise dos cinco Projetos inscritos, cada componente da Banca, composta por representantes da FCA e do UNIARAXÁ, fez a avaliação de cada trabalho, de forma independente.

De acordo com o Professor e Coordenador do Curso de Arquitetura e Urbanismo do UNIARAXÁ, Ricardo Batista, pela somatória da pontuação obtida, chegou-se ao Projeto vencedor, que receberá um prêmio de R$ 4mil. “Fiquei surpreso com a qualidade do Projeto vencedor. Ele obteve a melhor avaliação nos principais quesitos: Viabilidade Executiva, Solução Arquitetônica Sustentável, Estética, Estrutura, Acessibilidade Plena e Paisagismo Externo. O resultado é um Projeto bem estruturado e harmonioso”, conta Ricardo.

Agora, o Projeto vencedor será encaminhado à FCA, para andamento do processo executivo. Para a aluna Laura, o desenvolvimento do trabalho teve um significado especial. “Recebi o desafio de participar do Concurso, como um presente. Buscamos entregar um Projeto que atendesse às exigências funcionais com um desenho moderno, agradável e colorido; capaz de ativar experiências cognitivas, a partir de vivências sensoriais do ambiente renovado”, conta Laura.