Archives for

Notícias – Araxá

Inclusão e Acessibilidade no UNIARAXÁ

UNIARAXAMuitos são os desafios das pessoas com necessidades educacionais específicas, e promover a inclusão e a acessibilidade a elas é um dever das Instituições de Ensino. O Núcleo de Inclusão e Acessibilidade do UNIARAXÁ está vinculado aos diversos Setores do Centro Universitário, bem como aos cursos de Graduação e Pós-Graduação, e desenvolve um trabalho voltado para a formação conforme a temática “Diversidade e Inclusão”. A importância desse trabalho está no acesso das pessoas com necessidades educacionais específicas no âmbito do UNIARAXÁ, fazendo-se necessária a adoção de medidas que assegurem a oferta de recursos e serviços de acessibilidade, atendendo ao disposto na legislação referente aos direitos destas pessoas.

Pensando nisso, muitos são os programas de inclusão permanentes na Instituição: Prioridade na contratação de Pessoas com Deficiência; Acompanhamento pedagógico diferenciado; Oferta de LIBRAS como disciplina optativa aos alunos do UNIARAXÁ, com docente contratado pela Instituição; Oferecimentos de diversos cursos com o intuito de socializar práticas de inclusão, socialmente justas, por meio da Universidade Corporativa do UNIARAXÁ (UNI+) para todos os colaboradores, professores, estagiários e comunidade externa. Dentre os cursos oferecidos podemos destacar: Autismo; Dislexia; TDAH – Transtorno de Déficit de Atenção; Respeito à diversidade e combate à discriminação; Legislação e Políticas Públicas de Inclusão; Como incluir PCD no mercado; Dificuldades na aprendizagem; Cuidador de Idosos; 3ª Idade – Super Dicas de Saúde e Bem-Estar; Aprenda a Conviver com o Diabete; Como Conviver com a Pressão Alta; Educação Sexual para Adolescentes; Transtornos Globais do Desenvolvimento. Além destes, o Centro Universitário conta também com Curso de Extensão Presencial em LIBRAS; oferecido anualmente.

O UNIARAXÁ se orgulha do trabalho realizado no decorrer destes anos, uma vez que assegura as condições necessárias para o pleno acesso, participação efetiva e aprendizagem dos estudantes com necessidades educacionais específicas, em todas as atividades acadêmicas. Tais condições abrangem a disponibilização de serviços, recursos de acessibilidade, físicos e pedagógicos, e estratégias que eliminam as barreiras para sua plena participação na sociedade e desenvolvimento de sua aprendizagem. Além disso, assegura também, a acessibilidade arquitetônica em todos os ambientes, a fim de que os discentes e demais membros da comunidade acadêmica e sociedade em geral tenham garantido o direito de ir e vir com segurança e autonomia. Desta forma, a Instituição se compromete cada vez mais a empenhar-se em atender e satisfazer as necessidades dos alunos de Araxá e toda a região, garantindo o bem estar e desenvolvimento pleno dos mesmos

Para o Aluno e Estagiário, Victor Neves, as condições referentes à acessibilidade no Centro Universitário melhoraram muito no decorrer dos anos. “Quando iniciei no UNIARAXÁ, a acessibilidade não era como é hoje. Havia poucas rampas de acesso, não existiam pisos táteis. Hoje, após a reforma, a acessibilidade e a inclusão estão totalmente adequadas, com rampas de acesso em todo o campus, vagas de estacionamento demarcadas, pisos táteis por todos os blocos, banheiros adaptados e salas com espaço amplo. Os locais que frequento no campus, perante minha limitação, me deixam totalmente independente. Consigo me locomover por todos os Conjuntos, em todos os blocos, com extrema facilidade”, relata Victor.

Para isso, o UNIARAXÁ conta com profissionais capacitados a atender e assistir pessoas com deficiência no que for necessário. As colaboradoras designadas para esta função estão distribuídas em períodos de atendimento conforme demanda, sendo os colaboradores Solange Teixeira, nos períodos da manhã e tarde, Gustavo Pereira e Patrícia Silva, no período da tarde e à noite. A condecoração das ações do Núcleo pôde ser evidenciada na visita feita pelos profissionais do MEC. Na oportunidade de Recredenciamento da Instituição como Centro Universitário, garantimos a classificação de campus com Acessibilidade Plena. Este reconhecimento é fruto de um trabalho constante da Instituição em oferecer e desenvolver programas permanentes, voltados à inclusão de pessoas com deficiência, propiciando-lhes condições para a utilização dos espaços acadêmicos e pedagógicos, com segurança e autonomia, de forma total ou assistida, respeitando a diversidade das habilidades humanas e desenvolvendo ações e técnicas colaborativas, com o intuito de promover condições igualitárias para toda a Comunidade Acadêmica.

O UNIARAXÁ reitera também o compromisso de sempre cumprir as recomendações legais quanto à contratação de PCD’s. As pessoas com deficiência interessadas em trabalhar na Instituição, podem encaminhar currículo para o e-mail: rh@uniaraxa.edu.br. Desta forma, o Centro Universitário do Planalto de Araxá vai construindo sua história através da inclusão e integração de seus mais diversos públicos, sempre de forma humana e inovadora.

Veja como reduzir o consumo de energia elétrica nos dias quentes de verão

Ceiling fanO verão é a estação mais quente do ano e, por isso, os ventiladores, climatizadores de ar e aparelhos de ar condicionado são mais demandados.  Por isso, a Cemig separou algumas dicas para que a utilização desses aparelhos não aumente significativamente o valor das contas de energia.

O ventilador é o aparelho mais popular entre as alternativas para amenizar o calor, por possuir um preço de compra mais acessível e menor potência. Segundo o engenheiro de soluções energéticas Luciano Barreto, da Cemig, apesar de gastar menos energia, o consumidor deve ficar atento ao tempo de utilização do ventilador.

“O consumo de energia depende basicamente de duas variáveis: potência do equipamento, medida em watts, e tempo de utilização, calculado em horas. Para utilizar corretamente a energia, devemos atuar nas duas variáveis – potência e tempo. Por isso, o ventilador poderá ter uma parcela significativa na conta de energia, se ficar o tempo todo ligado na velocidade máxima”, explica Luciano.

De acordo com o engenheiro, o climatizador de ar ventila e  umidifica o ambiente, por isso sua utilização não é recomendada em locais que já são úmidos. “Esse aparelho é mais adequado para quem tem problemas respiratórios, mas é importante que o consumidor tenha em mente que o climatizador não deve ser visto como substituto do ar condicionado, já que o aparelho não refrigera o ar”, pondera.

Sobre o ar condicionado, o especialista explica que o aparelho, mesmo os mais modernos e eficientes, tem potência elevada. Ele recomenda atenção ao tempo de utilização e que o consumidor compre, preferencialmente, o equipamento com o selo Procel ou com a etiqueta do Inmetro com a letra “A” – os mais eficientes.

Confira outras dicas:

·       Instale o ar condicionado em local alto, com boa circulação de ar, e protegido da luz solar.

·       Utilize a função sleep, que eleva a temperatura automaticamente de hora em hora durante as horas de sono. Isso mantém o conforto do ambiente e reduz o consumo.

·       Mantenha o filtro do ar condicionado limpo.

·       Não selecione temperatura muito baixa no ar condicionado.  Quanto maior for a diferença entre a temperatura dentro e fora do ambiente, maior será o consumo de energia.

·         Mantenha o ambiente fechado para evitar a entrada de ar quente.

·         Sempre desligue os equipamentos quando não estiverem sendo utilizados.

Mais dicas de economia e uso racional de energia elétrica podem ser conferidas no site da Cemig.

Cemig é uma das 20 empresas mais sustentáveis do planeta

Usina de Três Marias

Usina de Três Marias

Devido sua atuação sustentável, a Cemig foi premiada por duas organizações internacionais que avaliam o desempenho de empresas e sua relação com o meio ambiente. A empresa ficou na 18ª colocação dentre as corporações mais sustentáveis do mundo na lista anual The Global 100, elaborada pela revista canadense Corporate Knights, e foi listada na categoria bronze do Anuário de Sustentabilidade 2018 da RobecoSAM, empresa europeia com sede na Suiça, especializada em gestão de ativos e na oferta de produtos e serviços no campo de investimentos sustentáveis.

A Cemig foi uma das cinco empresas brasileiras selecionadas entre as mais sustentáveis do mundo na lista The Global 100, que analisa um grupo de quase seis mil empresas de capital aberto de 22 países – avaliadas por um conjunto de indicadores ambientais, sociais e de governança, em relação aos seus pares do mesmo setor, a partir de informações publicamente disponíveis. Já o Anuário de Sustentabilidade da RobecoSam examina fatores importantes para as empresas, como o financeiro,  a capacidade de inovação e a retenção e atração de talentos, além da eficiência operacional.

De acordo com o presidente da Cemig, Bernardo Alvarenga, esse reconhecimento destaca os esforços e a preocupação da empresa na preservação do meio ambiente.  “A Cemig tem a sustentabilidade como um dos seus principais pilares.  Cerca de 98% da nossa capacidade de geração corresponde a fontes de energia limpa, principalmente, a hidráulica. Trabalhamos internamente e junto à sociedade, focados no desenvolvimento de soluções cada vez mais sustentáveis, em parceria com nossos clientes e fornecedores, o que nos permite obter resultados relevantes, como a presença da Cemig em índices como o The Global 100 e o do Anuário de Sustentabilidade da RobecoSam”, destaca.

A lista completa das empresas reconhecidas pela Global 100 está disponível no site. O Anuário de Sustentabilidade 2018 da RobecoSAM pode ser lido aqui. 

Sobre a Cemig

A Cemig é a maior empresa integrada do setor de energia elétrica do País, com mais de 530 mil quilômetros de linhas de distribuição e uma capacidade instalada de 5,6 GW. Vale destacar que a concessionária foi selecionada, pela 18ª vez consecutiva, para compor a carteira do Índice Dow Jones de Sustentabilidade no período 2017/2018, mantendo-se como a única companhia do setor elétrico da América Latina a fazer parte do índice desde a sua criação, em 1999.

A companhia está presente em 22 Estados e no Distrito Federal e conta com mais de 127 mil acionistas em 44 países e ações negociadas nas Bolsas de Valores de Nova York, Madri e São Paulo.

Economia com o Horário de Verão em Minas é suficiente para atender Juiz de Fora e Sete Lagoas

O Horário de Verão termina neste domingo (18/2), a partir da zero hora, quando os relógios das regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste serão atrasados em uma hora. Durante os 126 dias de vigência da medida, a Cemig registrou uma redução diária de 4% na demanda do horário de ponta ou 350 megawatts. Essa economia é suficiente para atender, durante todo o período do Horário de Verão, o pico de carga de uma cidade de 800 mil habitantes, equivalente à soma das cidades de Juiz de Fora e Sete Lagoas.

Em termos gerais, a Cemig registrou redução no consumo de energia de 0,5% em Minas Gerais, o que significa uma economia de 108.000 megawatts-hora. Essa energia seria suficiente para abastecer Belo Horizonte, com mais de 2 milhões de habitantes, durante nove dias.

De acordo com o engenheiro de planejamento energético Wilson Fernandes Lage, da Cemig, o objetivo do horário diferenciado é que a população aproveite a iluminação natural mais longa – característica da estação – e reduza a demanda energética no horário de pico, das 18 às 21 horas. “A redução da demanda máxima no sistema é o maior benefício do Horário de Verão, porque alivia o carregamento nas linhas de transmissão, transformadores, sistemas de distribuição e unidades geradoras de energia, aumentando a confiabilidade e a segurança da operação do sistema elétrico, reduzindo o risco de ocorrência de desligamentos no Sistema Interligado Nacional”, explica Wilson Lage.

Ainda segundo o engenheiro, a economia percebida pelos consumidores residenciais e comerciais se refere a menor utilização da iluminação artificial. Se não houvesse o Horário de Verão, os consumidores poderiam ter um acréscimo de 4% no consumo de energia com a iluminação artificial.

Próximo Horário de Verão será menor

Atendendo a um pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o governo federal alterou o período de vigência do Horário de Verão através do Decreto nº 9.242/2017. O objetivo dessa mudança é evitar atrasos na apuração e na divulgação dos resultados do segundo turno das eleições. Essa alteração acontecerá a partir do Horário de Verão 2018/2019.

Dessa forma, o início do Horário de Verão passa a ser no primeiro domingo de novembro de cada ano, em vez do terceiro domingo de outubro como foi no ano passado, mantendo o término do período no terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte, exceto quando coincidir com o carnaval, como é atualmente.

Objetivos e Benefícios

O principal objetivo do Horário de Verão é a redução da demanda máxima durante o horário de pico de consumo do sistema elétrico brasileiro, que ocorre diariamente no período das 18 às 21 horas. Esta redução neste horário, aliada ao aumento de consumo de outras cargas devido às altas temperaturas observadas no período de verão (equipamentos de alta potência como ar-condicionado, climatizador de ar, ventiladores, dentre outros) podem fazer com que o horário de pico se transfira para a parte da tarde. Ainda assim permanece o benefício do horário de verão ao evitar a ocorrência de um segundo e maior pico diário de consumo.

Os principais benefícios desta redução de demanda no horário de ponta, além da redução dos investimentos no sistema elétrico, são o aumento da segurança operacional, decorrente da diminuição dos carregamentos nas redes de transmissão e distribuição, maior flexibilidade operativa para realização de manutenções, redução de cortes de carga em situações de emergência no sistema elétrico e a redução dos custos de operação do Sistema Interligado Nacional.