Archives for

Curiosidades

Primeira usina hidrelétrica da América Latina completa 130 anos

UHE Marmelos 0091247 1 PBO Complexo Hidrelétrico de Marmelos completou 130 anos nesta quinta-feira (5/9). Fundado em 1889, em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, Marmelos é considerado o primeiro grande parque gerador de energia do Brasil e da América do Sul. Hoje, as instalações que foram um marco para o desenvolvimento do setor elétrico nacional abrigam um museu e ainda geram energia com as águas do Rio Paraibuna.

Idealizada pelo industrial Bernardo Mascarenhas – também fundador da Companhia Mineira de Eletricidade –, a Usina de Marmelos tinha o objetivo de fornecer energia à fábrica têxtil do empresário e modernizar as vias públicas de Juiz de Fora, até então iluminadas por lamparinas.

Segundo o gerente de Manutenção de Ativos de Geração Centro Sul da Cemig, William Serrano, após a construção das centrais hidrelétricas Marmelos I, IA e II, a pioneira Marmelos Zero teve suas operações interrompidas em 1896. “Os avanços da engenharia permitiram que novas plantas fossem desenvolvidas, de forma a aproveitar melhor a vazão da Cachoeira dos Marmelos, que inspirou o nome do complexo. Mas isso não tirou o brilho de Marmelos Zero, que contribuiu muito parar alicerçar o polo industrial da Zona da Mata no final do século 19”, argumenta.

A Cemig adquiriu o complexo com as pequenas centrais hidrelétricas em 1980. Três anos mais tarde, após restauração, o prédio da Usina de Marmelos Zero foi tombado pelo Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural de Juiz de Fora e transformado em espaço cultural.

“O mais interessante é que, apesar de centenárias, as estruturas ainda produzem energia que é disponibilizada no Sistema Interligado Nacional (SIN). Hoje, a Usina Marmelos conta com uma potência instalada de 4,8 MW (megawatts), que seria suficiente para atender ao consumo de aproximadamente 13 mil residências”, ressalta William.

Visita ao passado

Após ser transformado em espaço cultural em meados dos anos 1980 e virar um museu, Marmelos Zero se tornou um destino popular especialmente entre estudantes, pessoas interessadas em engenharia, e turistas que visitam a região.

“O museu abriga um rico acervo com itens que contam a história da energia e da usina. É uma visita ao passado. Todos ficam fascinados durante o passeio. Para nós, da Cemig, é satisfatório proporcionar essa experiência à população. Conhecer o caminho percorrido pela eletricidade, da sua geração nas turbinas até a entrega nas residências, contribui inclusive para o uso mais consciente da energia”, acrescenta o gerente.

Entre 2014 e 2015, o museu passou novamente por uma ampla reforma. O local foi reaberto à visitação em janeiro deste ano.

O museu recebe visitas duas vezes ao mês, mediante agendamento online no Portal Cemig.

P: O que faz um homem sério, daqueles bravos mesmo, virar a cabeça?
R: Ora, o pescoço.

Cuidado com a bebida

Atenção vc que gosta muiiiiiiiiiiiito de beber ate cair.

leia com atenção:

sem penisVocê já deve ter ouvido falar de bêbados que perdem as chaves da casa, a roupa ou a dignidade após uma bebedeira. Mas o caso deste dominicano é novo. Um homem de 64 anos disse que acordou sem o pênis após uma noite de bebedeira na República Dominicana.

Geraldo Ramos, da cidade de Santiago, disse ao site Noticias Sin que não se lembra como conseguiu perder seu “membro íntimo”, mas correu para o hospital após o misterioso desaparecimento.

Vizinhos disseram que um cão teria atacado o bêbado, mas Ramos nega essa versão.

Após o incidente, Ramos disse que vai abandonar a bebida.

Nesta semana, nos EUA, um homem acusou um cão de ter devorado seu testículo.

Segundo a vítima, que sofre de paralisia da cintura para baixo, um cão que dormia entre suas pernas teria devorado um dos testículos.

Fonte: Folha de Dourados

CURIOSIDADE: Você imagina a velocidade que estamos viajando no Universo?

velocidade-universoVivemos nossa vida, vivendo dia após dia, e não nos damos conta de que estamos nos movimento à uma velocidade absurda neste Universo!

A verdade é que a Terra gira a quase 1,7 mil quilômetros por hora sobre o próprio eixo — sem falar que o nosso mundo também está orbitando ao redor do Sol. Já o sistema solar está se deslocando no interior da Via Láctea — e a nossa galáxia, por sua vez, está se movendo pelo universo! Você consegue imaginar a velocidade combinada de tudo isso?

Tudo é uma questão de referência

Em realidade, nós não sentimos que estamos rodopiando tão depressa por conta da própria natureza do movimento. De acordo com um interessante vídeo do pessoal do portal Business Insider, a velocidade não é uma grandeza absoluta, mas sim relativa — e isso significa que, para medir o quão rápido um corpo está se movendo, é necessário usar outro objeto como referência.

Imagine que você está viajando de carro a 80 quilômetros por hora. Se você vedar as janelas e apenas ver o que existe no interior do veículo, você não vai notar a velocidade com a qual está se deslocando. Para isso, você precisaria olhar para o exterior. A mesma coisa acontece na Terra, ou seja, como todo mundo e tudo o que exista na superfície está se movendo na mesma velocidade, a impressão que temos é que não saímos do lugar.

Entretanto, como você sabe, a Terra leva cerca de 24 horas para completar uma volta sobre o próprio eixo, o que significa que, na altura da Linha do Equador, a velocidade de deslocamento é de perto de 1,7 mil km/h — conforme já explicamos no começo da matéria. Aliás, é a partir daqui que as coisas ficam realmente interessantes!

Se levarmos em consideração que o nosso planeta leva 365,24 dia para completar uma órbita ao redor do Sol — trajeto equivalente a aproximadamente 940 milhões de quilômetros —, é possível estimar que a Terra está viajando a cerca de 107,3 mil de km/h ao redor da estrela. Além disso, não podemos nos esquecer de que o sistema solar não se encontra paradinho no interior da Via Láctea.

Correndo pelo cosmos

O nosso “astro-rei” também está se deslocando — e nos arrastando com ele — a mais de 69 mil km/h próximo ao centro da Via Láctea e, ao mesmo tempo, a estrela está se movendo em direção ascendente com respeito ao plano da galáxia a mais de 25 mil km/h. E isso não é tudo!

O Sol completa uma órbita na Via Láctea a cada 225 milhões de anos — viajando a mais de 777 mil de km/h. Somando tudo, nós, terráqueos, estamos nos deslocando com o sistema solar pela galáxia a astronômicos 871.781 km/h! E isso que ainda tem a velocidade com a qual a Via Láctea está perambulando pelo universo.

De acordo com o vídeo, a velocidade da nossa galáxia com respeito à radiação cósmica de fundo — ou seja, radiação eletromagnética da época do Big Bang e que preenche o universo — é de pouco mais de incríveis 581 quilômetros por segundo.

Assim, considerando que a Terra está girando sobre o próprio eixo e está se movendo ao redor do Sol que, por sua vez, está girando ao redor da galáxia, que está zunindo pelo universo, nós estamos nos deslocando a uma velocidade combinada de quase 850 quilômetros por segundo através do cosmos.

ORIGINALMENTE EM AH DÚVIDO

Fontes